Genebra: O salário mínimo de 23 francos por hora é aceite pelo povo

Genebra: O salário mínimo de 23 francos por hora é aceite pelo povo
Genebra: O salário mínimo de 23 francos por hora é aceite pelo povo

A iniciativa popular “23 francos é um mínimo” visa lutar contra a precaridade. Este texto, que foi apresentado para votação sem contraprojeto, foi aceito por 57,81% dos eleitores.

Um salário mínimo de 23 francos por hora será introduzido em Genebra em todas as agências. A população aceitou uma iniciativa dos sindicatos inspirada no sistema já existente em Neuchâtel e no Jura.

Este texto, que foi apresentado a votação sem contraprojeto, foi aceito por 58,15% dos eleitores. A esquerda uniu-se por trás desta iniciativa, que facilmente se enchera de assinaturas. A taxa de participação atingiu 54,16%.

A iniciativa popular “23 francos é um mínimo” visa lutar contra a precaridade. Segundo os sindicatos, não é possível viver com dignidade em Genebra com um salário menor. Esses 23 francos correspondem a 4.086 francos por mês para 41 horas de trabalho semanal.

Estima-se que mais de 30.000 pessoas foram afetadas, dois terços delas mulheres, estimam os sindicatos. Entre os setores afetados: hotelaria e restauração, limpeza, economia doméstica, cabeleireiro, estética e comércio a retalho. Trata-se de atualizar as profissões paralelas que se revelaram essenciais durante a crise da saúde.

Terceira tentativa

A direita e os meios económicos têm lutado contra esta obrigação legal que, segundo eles, prejudica a parceria social. Eles acreditam que os mecanismos de combate à sublicença salarial são suficientes. Para a esquerda, não se tratava de atacar a parceria social, mas de preencher suas lacunas.

Esta é a terceira vez que o povo de Genebra vota o princípio de um salário mínimo. Eles haviam dito “não” em 2011 a um projeto cantonal e rejeitado em 2014 uma iniciativa dos sindicatos em nível federal. A crise de saúde devida e económica mudou a situação. Fonte: https://www.lematin.ch/

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*