Portugal: Um grupo de caça qualificado como um “crime inaceitável”

Veados e javalis mortos

Na semana passada, dezasseis caçadores reuniram-se na zona de Lisboa para participar num torneio de caça. Eles mataram mais de 500 animais, escandalizando o governo.

O governo português condenou na terça-feira um torneio de caça que teve lugar na região de Lisboa na semana passada, que chamou de “crime inaceitável” e que gerou indignação de partidos políticos, profissionais e internautas.

Em questão, uma caçada que teve lugar perto da vila da Azambuja, a cerca de uma hora de carro a norte da capital portuguesa, na propriedade fortificada da Torre Bela, um recinto com mais de 1000 hectares e entre os maiores da Europa.

De acordo com a postagem de um dos caçadores participantes da rede social Facebook, desde a exclusão em face da ira dos internautas, várias centenas de animais, javalis e veados, foram abatidos.

Acompanhada de uma foto a mostrar dezenas de cadáveres de animais alinhados no chão, dizia a legenda “540 animais com 16 caçadores em Portugal, um recorde durante um super torneio”.

Organizado por uma empresa espanhola

“Este é um crime inaceitável, um acto de ódio que nada tem a ver com caça”, disse o ministro do Ambiente de Portugal, João Pedro Matos Fernandes, em entrevista à rádio TSF.

“O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) vai revogar imediatamente a autorização de caça para esta propriedade e com o trabalho de investigação que está a fazer no terreno, vai apresentar queixa ao Ministério Público, porque os organizadores e os caçadores participantes terão que ser sancionados ”, especificou.

Segundo o semanário Visão, este evento foi organizado pela empresa espanhola Monteros de La Cabra, especializada em festas de caça na Península Ibérica. Quando contatada pela AFP, ela não estava em posição de falar imediatamente.

“Simplesmente desumano”

Na segunda-feira, o partido animalesco PAN, que tem quatro deputados no parlamento português, foi o primeiro a se indignar nas redes sociais, denunciando que “matar por diversão é simplesmente desumano” e apela a “regulamentação rígida para o setor da Caça “.

No processo, o Partido Socialista, no governo, e o PSD, o partido de centro-direita e principal partido da oposição, também criticaram a caça e exigiram uma explicação.

Por sua vez, o presidente da Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses, José Bernardino, falou em “extermínio” numa entrevista ao semanário Sábado. “É vergonhoso e eticamente desprezível”, acrescentou.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*