Salário mínimo na Suíça. VERDADE OU MENTIRA.

Salário mínimo na Suíça. VERDADE OU MENTIRA.
Salário mínimo na Suíça. VERDADE OU MENTIRA.

A Suíça volta a enfrentar a questão de salário mínimo, uma notícia muito esperada por muitos que vivem na pobreza. Mas a verdade é que não e assim tão simples como parece.

Um salário mínimo por hora em breve entrará em vigor no cantão de Neuchâtel, um primeiro na Suíça, após uma decisão do Tribunal Federal, rejeitando os recursos contra esta medida.

Em Neuchâtel, a medida foi contrariada pelos chefes e organizações econômicas.

O Tribunal Federal (TF) rejeitou os recursos contra esta medida, de acordo com a decisão divulgada na sexta-feira.

Esta entrada em vigor é o culminar de uma votação cantonal realizada em 2011, na sequência de uma petição pedindo a introdução do salário mínimo.

Após a aprovação da população cantonal, as autoridades cantonais votaram na implementação desta medida, que posteriormente foi apelada para o TF.

Para o TF, o salário mínimo está em conformidade com o princípio constitucional da liberdade econômica e da lei federal.

O salário mínimo, acrescentou o TF, visa combater o fenômeno dos trabalhadores pobres, aqueles que trabalham por um salário muito baixo.

O salário mínimo reivindicado pelos residentes de Neuchâtel é de 20 francos suíços (17,38 euros) por hora.

No entanto, estão previstas exceções, de acordo com a agência suíça ATS, em particular no setor de agricultura e viticultura.

Com uma taxa anual de CHF 20 por hora e uma semana de trabalho de 41 horas, a renda anual correspondente é de 41.759 francos (36.303 euros), ou 3.480 francos por mês, um montante que torna muito difícil viver na Suíça sem ajuda social.

Os empregadores do cantão haviam estimado durante o trabalho do parlamento cantonal que o custo adicional para a economia gerado por esta medida é de 9 milhões de CHF.

O cantão de Neuchâtel é o primeiro a introduzir um salário mínimo no país.

Iniciativas similares estão em andamento nos cantões do Jura e do Ticino, mas o procedimento ainda não está completo.

Por outro lado, outros cantões, como os cantões de Genebra, Vaud e Valais, recusaram projectos similares.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*