Suíça: Enfermeiros descontentes querem mais formação e salários

Enfermeiros descontentes querem mais formação e salários
Enfermeiros descontentes querem mais formação e salários

A equipa de enfermagem salienta que a pandemia do Covid-19 destacou as fraquezas do sistema de saúde suíço e exige melhores condições de trabalho.

Aplausos e palavras bonitas não são suficientes para os enfermeiros.

Em uma carta aberta ao parlamento, eles exigem ações, aumento de pessoal, melhores condições de trabalho e aumento de salários.

A pandemia de Covid-19 destacou as fraquezas do sistema de saúde suíço, disse a Associação Suíça de Enfermeiros (ASI) em comunicado divulgado esta terça-feira. “Nossos profissionais estão a pagar uma conta por anos de fiasco político”, denuncia sua presidente, Sophie Ley.

“O escândalo da falta de equipamentos de proteção é apenas um ponto entre muitos”, continua ela. Igualmente inaceitável é a suspensão do horário de trabalho e períodos de descanso para evitar que o sistema entre em colapso por falta de pessoal. Nesse contexto, os funcionários da CHUV descobriram que também não poderão tirar férias em maio.

A ASI, requer portanto a implementação imediata de todos os requisitos da sector de enfermagem. “O contra-projeto indireto do Conselho Nacional é um primeiro passo, mas não é suficiente”, diz Sophie Ley.

Saúde na Suíça
Berne: 13.000 mil pessoas podem beneficiar do subsídio de seguro de saúde

Egoísmo e um perigo

Concretamente, os enfermeiros estão a pedir um aumento na equipa e uma ofensiva de formação em massa. A Suíça nem sequer forma metade da equipa de enfermagem de que precisa, critica a ASI. Isso atesta “um egoísmo indefensável em relação a alguns países.

Tal situação também leva à dependência de estrangeiros. “A Suíça estaria condenada ao desastre se nossos colegas de fronteira tivessem sido requisitados por nossos países vizinhos para o seu próprio sistema de saúde”, diz Sophie Ley.

Uma vez formados, os enfermeiros também costumam abandonar sua profissão devido ao baixo reconhecimento, baixos salários e uma carga de trabalho pesada. As condições de trabalho devem ser melhoradas, o reconhecimento financeiro concedido e a autonomia de enfermagem reconhecida. Estes últimos ainda são considerados uma profissão paramédica auxiliar.

Suíça: Como pedir o subsidio de seguro de saúde
Suíça:Partido Socialista quer limitar seguros de saúde

“Paciência já se encontra no limite”

“Nossa paciência está a acabar”, escreve a ASI em sua carta aos parlamentares. “Há muito que colocamos nossos argumentos em cima da mesa. Estes são apoiados por numerosos estudos científicos. Os parlamentares sabem o que está em jogo ”, destaca Sophie Ley.

Cabe agora a eles garantir um número suficiente de enfermeiros qualificados e motivados. A única maneira de chegar lá, aos olhos da ASI: é implementar as reivindicações dos cuidadores (soignants) no âmbito dos debates sobre a iniciativa “Por um tratamento de enfermagem forte” e o contra projeto Nacional.

Os eurodeputados querem incentivar o ensino de enfermagem e tornar a profissão mais atraente, atribuindo competências mais importantes aos enfermeiros. Como iniciativa, a cópia adotada pelo National prevê que os enfermeiros possam prescrever receitas médicas para cobrar certos serviços ao seguro de saúde obrigatório. O Conselho Federal se opõe. A comissão do Conselho de Estados quer uma modificação. Ela se opõe ao apoio financeiro de futuros estudantes de enfermagem.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*