Suiça faz estudo sobre sexo dos mais jovens para compreender as mudanças do século passado.

Suiça faz estudo sobre sexo dos mais jovens para compreender as mudanças do século passado.
Suiça faz estudo sobre sexo dos mais jovens para compreender as mudanças do século passado.

Suiça faz estudo sobre sexo dos mais jovens para compreender as mudanças do século passado.

Sociedade de pesquisadores suíços estão fazer um estudo de comportamento sexual indiscreto da geração jovem.

Massagens sensuais, Viagra, a contracepção, a ejaculação precoce mesmo sexo desprotegido: pesquisadores da Universidade de Lausanne e Zurique querem absolutamente conhecer todas as práticas que se encontram por de trás desta juventude. Um questionário bem detalhado foi enviado a 40.000 residentes suíços com idades entre 24 a 27 anos, ou seja para um sexto deles.

A abordagem do grupo interdisciplinar de pesquisadores do Hospital Universitário da Universidade de Lausanne (UNIL) e do Hospital Universitário de Zurique tem o objectivo de compreender melhor as práticas sexuais de jovens adultos de hoje, especialmente na era da Internet ou mudança de atitudes em relação à homossexualidade. “Tudo isto para actualizar registos e entender como as coisas mudaram nos jovens dos dias de hoje, diz o chefe do projecto Joan Carles-Suris. Os estudos mais recentes datam de 1995. A questão é saber se ainda se podemos basear em uma prevenção com dados que datam do século passado “.

Um inventário preciso é ainda mais necessário que à vinte anos, as coisas mudaram. “Enquanto isso, houve a criação da pílula do dia seguinte, Viagra, ou ainda o fenómeno do sexo online. Além do HIV agora é visto mais como uma doença crónica do que um vírus mortal. ”

Compreender mas sem julgar

Os entrevistados podem responder ao questionário anonimamente através de um “calendário de vida” na Internet, o que lhes permite traçar a cronologia de suas experiências sexuais. Os pesquisadores estudaram então, a influência destes sobre outras áreas da vida, como a saúde física e mental, relações emocionais, a formação ou a integração profissional. “A sexualidade não pode ser isolada de outras áreas da vida, afirmam os pesquisadores. Se a sua sexualidade é abaixo das suas expectativas, quer em quantidade quer em qualidade, ou é problemática devido a vários factores que podem estar relacionados a abuso ou mau funcionamento, o seu bem-estar geral vai sofrer ”

A moralidade não tem o seu lugar neste estudo. Se as práticas de hoje são por vezes mal interpretadas pela geração mais velha, elas não se rebelam necessariamente problemas  prejudiciais para os jovens. A equipe de Joan Carles-Suris por exemplo, publicou em Fevereiro um relatório sobre o “sexting”. A prática é “positiva definida pela maioria dos jovens como uma simples troca entre duas pessoas responsáveis.” “Estas observações permitem de visualizar  certas práticas e mudanças na sexualidade, disse Joan Carles-Suris. Será necessário analisar  os resultados do estudo, mas acho que os nossos jovens estão fazendo muito bem. ”

Tudo indica que os primeiros resultados da pesquisa será feito em 2018. (TDG)

 

Deixe sua opinião à forma como os jovens respeitam o acto sexual e a forma como vêm tal fenómeno.

Pode ler mais de nossos artigos clicando apenas AQUI

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*