Suíça: Mais de metade dos desempregados encontram emprego logo apôs o fim de seus direitos de desemprego

Desemprego
Desemprego (Foto ilustrativa)

Mais da metade dos desempregados ao final de seus direitos encontra logo emprego no ano seguinte. No entanto, eles são menos remunerados e estão com mais problemas de saúde do que outros funcionários.

Este é um estudo do Departamento Federal de Estatística que afirma: durante cinco anos, quase 38.000 desempregados chegam ao fim dos direitos todos os anos na Suíça. Mas 55% deles conseguiram encontrar um emprego no ano seguinte, afirma o OFS em comunicado divulgado na segunda-feira.

Após os cinco anos, 63% dos que chegaram o fim de seus direitos encontraram emprego, enquanto 15% ainda procurava e 22% deixou o mercado de trabalho, afirmou o OFS.

Trabalhadores com idades mais altas

Sem surpresa, as pessoas de 45 a 64 anos são as mais representadas entre os desempregados ao final de seus direitos. São 48%, sabendo que eles representam 42% da população activa e 41% dos candidatos a emprego. Há também muito mais pessoas desempregadas que perderam seus direitos no caso de pessoas sem formação profissional e estrangeiros.

Aqueles que conseguem retornar ao mercado de trabalho são mais activos em formas atípicas de trabalho do que outros funcionários, sublinha o OFS. Cerca de 9% deles trabalham de plantão (contra 5% para todos os funcionários em geral) e 4% são colocados e pagos por uma agência de trabalho temporário contra (1% de todos os funcionários em geral).

Mais tempo parcial

Embora 91% dos funcionários tenham um contrato de trabalho por tempo indeterminado, essa taxa chega a 86% para as pessoas que chegaram ao fim de seus direitos de desemprego. 27% dos homens que encontraram emprego após o fim de seus direitos de desemprego trabalham em regime de meio período,tempo parcial, contra 15% para todos os homens empregados em geral. O mesmo é observado em mulheres.

Entre as pessoas empregadas que trabalham a tempo parcial após o fim dos direitos do desemprego, 51% gostariam de aumentar sua taxa de ocupação e estão prontas para fazê-lo dentro de três meses. Eles são considerados subempregados. A percentagem de subemprego é 2,4 vezes menor entre os funcionários do tempo parcial que não estavam no fim de seus direitos.

Salário definitivamente mais baixo

Os desempregados no final dos direitos de desemprego que encontram trabalho, também são menos remunerados. Se o salário médio por hora (bruto) é 36,10 francos para todos os funcionários, será 28 francos para as pessoas que encontram um emprego após acabarem seus direitos do desemprego. Uma diferença particularmente acentuada para executivos cujo salário médio por hora caiu em média de 54,90 francos para 41,20 francos.

Por fim, em todas as faixas etárias, as pessoas que perderam seus direitos de desemprego têm uma saúde mais precária do que a população activa. Entre as idades de 45 e 64 anos, 11% dos desempregados ao final de seus direitos se consideram com uma saúde ruim ou muito ruim, em comparação com apenas 2% da população activa. Essas diferenças importantes também são observadas entre as idades de 30 a 44 anos (6% para as pessoas em fim de seus direitos de desemprego e 1% para a população activa).

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*