Suíça: Sindicato exige que construção civil pare as obras

Sindicato exige que construção civil pare as obras
Sindicato exige que construção civil pare as obras

O sindicato denuncia a ausência de medidas sanitárias e a falta de controles reais no local de trabalho. E não apenas na indústria da construção.

“O estado não hesitou em mobilizar 400 pessoas com drones, no fim de semana passado, para sancionar reuniões de mais de cinco pessoas. Com razão. No entanto, ele não parece tão determinado a controlar as regras de higiene no local de trabalho. Bela hipocrisia ”, empolga-se Alessandro Pelizzari, presidente da Comunidade de Ação Sindical (CGAS).

E para citar o caso de um site novamente autorizado na Place du Molard. “Nesta quarta-feira, os trabalhadores tiveram a coragem de denunciar suas condições sanitárias deploráveis ao parar de trabalhar”, disse Davide De Filippo, vice-presidente da CGAS. Isso mostra que, mesmo em pequenas obras, é praticamente impossível cumprir as normas sanitárias, afirmam os sindicatos: “Um número significativo de empresas veio até nós para denunciar a pressão de empreiteiros gerais ou principais. Para que retomem o trabalho depois da Páscoa, apesar da impossibilidade de respeitar as regras de distância e higiene.”

“Algumas salvaguardas”

O CGAS exige, portanto, que o cantão use o espaço de manobra deixado pelo Conselho Federal para reordenar o fecho de todas as obras pelo menos até ao final de abril. “Não temos mais espaço de manobra no momento, diante a decisão do Conselho Federal”, reage o conselheiro estadual Mauro Poggia. Nosso governo ordenou que todos os locais de trabalho fossem fechados em 18 de março, quando ainda era livre de o fazer. Porém, uma semana depois, o Conselho Federal nos pediu para intervir apenas se houvesse uma impossibilidade estabelecida de respeitar as recomendações da OFSP. Portanto, aplicamos regras federais, mas com algumas salvaguardas. Qualquer obra deve ser objeto de um anúncio, os empregadores são responsáveis pela saúde de seus funcionários e, se houver um abuso, sancionamos. ”

5 Comments

  1. Estou trabalhando também…..mas sim com algumas regras de segurança….. já desejei ficar em casa, mas neste momento não.. penso já passou o pior

  2. Está há vista que as medidas tomadas pelo governo Federal não tem sido as melhores,e os números falam por si 23.280 infectados,mortes 900 num País com 8.000.000 de habitantes sendo o segundo Pais mais infectado Per Capita a nível Mundial.É vergonhoso a forma como os trabalhadores da construção continuam a trabalhar sem condições básicas de higiene e distanciamento pondo em perigo a suas vidas e dos seu familiares,na minha opinião era parar tudo e ficarem em CASA se nada for feito em junho estaremos aqui a falar do mesmo,cuidem-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*